6 fatos pouco conhecidos sobre o sangue humano

O sangue é um fluido essencial que fundamenta a vida de toda a raça humana, estando presente em funções vitais para o organismo, como no transporte de oxigênio e nutrientes para as células do corpo. E apesar dele estar presente em abundância em cada indivíduo, inúmeras teorias e aplicações o transformaram em um componente muito mais complexo e surpreendente em que cada nova descoberta parece aumentar sua importância.

Confira abaixo alguns fatos interessantes sobre o sangue humano e descubra como sua atuação na vida humana pode ser incrivelmente fascinante.

1. 26 trilhões de glóbulos vermelhos estão presentes no corpo

(Fonte: Medical News Today / Reprodução)(Fonte: Medical News Today / Reprodução)

Contagens completas de sangue (CBC) revelam que existem aproximadamente 26 trilhões de glóbulos vermelhos no corpo humano, algo equivalente a 8% do peso total de um indivíduo adulto.

Os dados também apontam que homens possuem uma ligeira vantagem na contagem se comparados às mulheres, apresentando cerca de 4,7 a 6,1 milhões de glóbulos vermelhos por microlitro de sangue, contra 4,2 a 5,4 milhões de glóbulos vermelhos por microlitro em fêmeas.

2. Cor das fezes tem origem em eritrócitos mortos

(Fonte: Getty Images / Reprodução)(Fonte: Getty Images / Reprodução)

A cor marrom das fezes não ocorre de forma aleatória e sua origem vem do ferro extraído de células vermelhas “velhas”. No processo, células removem a substância e fabricam bilirrubina, transportando o material para o fígado, onde é excretado na forma de bile.

Após isso, a secreção digestiva é transformada em urobilinogênio, produto final do trabalho das bactérias intestinais, e passa a compor tanto a cor amarelada da urina quanto o tom escuro da massa fecal.

3. Existem muito mais que quatro tipos sanguíneos

(Fonte: Phys / Reprodução)(Fonte: Phys / Reprodução)

De acordo com Robert Flower, colaborador do Banco de Sangue da Cruz Vermelha, “existem 34 sistemas com mais de 300 variantes conhecidas” de tipos sanguíneos, e não somente os convencionais derivados do ABO.

Esses sistemas seriam caracterizados pela presença de antígenos específicos na superfície de seus glóbulos, possibilitando a reação de “ataque” do sistema imunológico humano.

4. A primeira transfusão de sangue bem-sucedida tem pouco mais de 100 anos

(Fonte: Science Photo Library / Reprodução)(Fonte: Science Photo Library / Reprodução)

Em 1818, o obstetra britânico James Blundell realizou a primeira transfusão sanguínea já documentada quando salvou uma mulher com hemorragia que teve complicações durante o parto. O caso envolveu o marido da paciente e teve um procedimento bastante “grosseiro”, já que consistiu na remoção de sangue do homem através de uma seringa e na imediata injeção do material no braço da mulher, que felizmente sobreviveu.

5. O corpo é capaz de rejeitar sangue

(Fonte: Getty Images / Reprodução)(Fonte: Getty Images / Reprodução)

Os tipos sanguíneos são caracterizados por uma particularidade em especial: a compatibilidade. Uma vez que o indivíduo testado tem sangue A e B, é possível receber qualquer combinação entre as proteínas; pessoas com A ou B só podem receber se houver a respectiva proteína isolada ou combinada; e indivíduos tipo O são considerados doadores universais. Caso haja incompatibilidade na transfusão, o organismo irá rejeitar a entrada do novo sangue, tratando as proteínas como “invasoras” e, consequentemente, atacando-as.

6. Pessoas com sangue tipo O são mais resistentes a doenças

(Fonte: Getty Images / Reprodução)(Fonte: Getty Images / Reprodução)

De todos os tipos sanguíneos existentes, o segmento O é o que mais apresenta resposta imune do organismo. Assim, indivíduos que apresentam essa característica em seu sistema circulatório estão menos propensos a sofrer com doenças cardiovasculares, assim como com outras condições críticas como trombose venosa profunda, coágulo de risco que causa dor e inflamação.

More in Fatos&Fatos.com