5 santos que foram extremamente duros na queda

É comum que nós imaginemos todos os santos da Igreja Católica como figuras calmas e sagradas, que não fariam mal nem mesmo para uma mosca. Entretanto, algumas pessoas muito curiosas já foram canonizadas ao longo da história e com histórias bastante sinistras nos bastidores.

Está pensando que ser santo é fácil? Por esse motivo, nós separamos uma lista com cinco dos santos da Igreja Católica com histórias de vida bem radicais ao longo da história. Veja só!

Leia também: Conheça Odetinha, a menina carioca que pode virar santa 

1. São Francisco de Assis

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

A história de São Francisco de Assis passa muito pelo seu esforço para manter uma vida humilde e tentar consertar os problemas da Igreja em épocas de crise. O que muitos não sabem, entretanto, é que ele viajou para o Egito em 1219 com o objetivo de se tornar um mártir. 

Seu objetivo era conseguir converter o máximo de muçulmanos possíveis e depois ser morto pelo governo local. O plano teria dado certo se o sultão Melek-el-Kamel não tivesse ficado tão impressionado com a ousadia de São Francisco. Como reconhecimento pela sua força de vontade, o santo acabou recebendo permissão para pregar o cristianismo naquelas terras sem muita resistência.

2. São Jorge

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

São Jorge é visto como o santo militar mais proeminente em toda história e um dos mais venerados no Ocidente — não à toa é símbolo da torcida do Corinthians. Criado como cristão, Jorge se tornou um soldado do exército do Imperador Romano Diocleciano ainda jovem.

Tempos depois, o líder de Roma decidiu que todos seus servos deveriam renunciar à sua fé e se tornar pagãos. Sem querer perder seu melhor soldado, Diocleciano tentou convencer São Jorge de todas as formas, mas não conseguiu. Então, não sobraram alternativas senão executar o futuro santo, que ainda teria ressuscitado três vezes até ser decapitado de uma vez por todas.

3. Santa Joana d’Arc

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Joana d’Arc foi responsável por guiar o exército francês por inúmeras vitórias durante a Guerra dos Cem Anos, a qual pavimentou a coroação do rei Carlos VII da França. Em uma dessas batalhas, ela acabou levando uma flechada no pescoço e mesmo assim continuou firme e forte em combate.

Ela foi capturada pelos borgonheses, vendida aos ingleses, julgada por um tribunal eclesiástico e queimada na fogueira quando tinha apenas 19 anos de vida. Demorou 25 anos para que ela fosse reconhecida como um mártir pela Igreja Católica e 500 anos até ser oficialmente canonizada.

4. São Moisés, o negro

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Moisés, o negro, foi um escravo de um oficial do governo egípcio que o mandou embora por roubo e suspeita de assassinato. Então, ele se tornou o líder de uma gangue de bandidos que vagavam pelo Vale do Nilo, espalhando terror e violência até o dia que precisou se esconder em um monastério para não ser preso.

A influência dos monges foi tão grande que ele decidiu se converter. Anos depois, um grupo de bandidos tentou roubar o monastério onde São Moisés estava vivendo. E como ele não era bobo, derrotou o grupo sozinho e fez eles se converterem também!

5. Santa Quitéria

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Santa Quitéria era uma de nove irmãs gêmeas, todas filhas de uma descontente mãe por não ter tido nenhum homem. Por isso, exigiu que uma babá afogasse todos os bebês em um rio. Incapaz de fazer isso, a jovem mulher levou todas as garotas para uma vila próxima onde seriam criadas juntas.

E, ao crescerem, elas se uniram em uma gangue. O objetivo do grupo era viajar por aí livrando cristãos da cadeia. Elas passaram anos nessa tarefa até serem capturadas pelo exército romano e declararem guerra contra o Império. Eventualmente, todas elas acabaram executadas e Quitéria acabou canonizada.

More in Fatos&Fatos.com